E AGORA COMISSÃO EUROPEIA? E AGORA ESPANHAS?

Quim Torra eleito presidente do Governo da Catalunha

Foram necessários oito meses de Resistência após o referendo pró independentista Catalão para que a União Europeia aceitasse investigar a agressão do governo de Madrid nas semanas que se seguiram à votação Referendária.

A polícia espanhola foi aliás acusada ​​pela Human Rights Watch por usar "força excessiva" contra "manifestantes pacíficos" e o voto ser considerado ilegal não justifica ilegalidades.

Ora Juncker que começou por “lavar as mãos” do caso catalão como aliás denunciámos, em uma carta aos eurodeputados catalães finalmente reconheceu ser necessário investigar os métodos cruéis utilizados ​​pela polícia espanhola para reprimir as manifestações dos ativistas pró independência Catalães.

Mas mais complexa ficou agora a situação pois  o Parlamento da Catalunha elegeu finalmente hoje segunda-feira Quim Torra como Presidente do Governo Regional Catalão, o que levará obrigatoriamente ou a  recuperar-se  o estatuto de autonomia perdido em outubro de 2017 com a Declaração  de independência assumida por Carles Puigdemont após o ato referendário havido.

Na verdade logo após o candidato eleito formar um novo governo regional a Generalitat, deverá findar a tutela política imposta por Madrid na Catalunha em consequencia dessa proclamação da independência a 27 de outubro de 2017, a não ser que as Espanhas e o sr. Rajoy inventem mais um procedimento burocrático.

Quim Torra foi apresentado por indicação do ex-presidente catalão Carles Puigdemont que continua refugiado na Alemanha e impedido de assumir o seu cargo aguardando  uma decisão sobre o mandato europeu de detenção emitido pela justiça espanhola.

Quim Torra foi hoje eleito em segunda votação por 66 votos dos dois grandes partidos independentistas, o liberal 'Juntos Pela Catalunha' e a Esquerda Republicana da Catalunha (ERC, socialista), e claro que com os votos contra dos 65 deputados monarquistas e centralistas do Cidadãos da Direita, do  Partido Socialista da Catalunha (a versão catalã do  PSOE, do  Partido Popular direita ultra conservadora das Espanhas  e curiosamente do irmão do PODEMOS o 'En Comú-Podem' partido radical de Esquerda.

Os quatro deputados do  partido independentista da Esquerdad Radical a 'Candidatura de Unidade Popular', CUP, ao absterem-se acabaram por permitir a eleição de Quim Torra.

No discurso que fez esta manhã, Quim Torra relevou que  Carles Puigdemont é o presidente "legítimo" do Governo Regional da Catalunha e afirmou ser "leal ao mandato" para "construir um Estado independente em forma de República", o outro susto das monarquistas Espanhas.

Defendendo uma “Nação plena” Torra afirmou ainda que "Todos irão ganhar direitos com a República", na apresentação do seu programa perante os parlamentares regionais, recordando que “A República é para todos e não interessa em quem se vote".

Quim Torra criará  um "conselho de Estado no exílio" com o ex-presidente regional Carles Puigdemont, dando-lhe um estatuto especial apesar do exilio forçado e ainda apresentou a premência da criação de uma Assembleia Constituinte que escreverá a Constituição para a futura República Catalã.

Sob a ameaça do  Governo espanhol do extremista  Mariano Rajoy que já avisou  que quer  voltar a intervir na Catalunha todos esperamos que as declarações de Juncker ponham um travão ao expansionismo das Espanhas.

Joffre Justino

Share

Últimos artigos

1 Comment on "E AGORA COMISSÃO EUROPEIA? E AGORA ESPANHAS?"

  1. mário de carvalho | 16 Maio, 2018 at 16:34 | Responder

    Viva a República da Catalunha livre e independente da espanha decadente e governada por um governo do pp um dos partidos mais corrupto de toda a história sanguinária das ditas espanhas.É bom ter memória e não esquecer a guerra civil espanhola.
    VIVA A REPÚBLICA.VIVA O LAICISMO.VIVA O LIVRE PENSAMENTO.

Leave a comment

Your email address will not be published.


*